Blog

A Grande Questão do Universo

Data de publicação: 03 de set

Categoria: Bits & Bytes de Ciência

Os filósofos gregos da antiguidade tinham uma fixação em compreender a natureza. Eles sabiam que, vivendo neste mundo, era de primordial importância procurar a explicação das coisas e tentar compreender como elas acontecem. Para isso, os fenômenos da natureza deveriam ser explicados sempre por princípios simples e sintetizados.

Uma das grandes indagações dos filósofos era sobre qual era o material ou a substancia de que foi feito o mundo. No procedimento de simplificar as resposta surgiu a que predominou por muito tempo de que o nosso mundo era feito de três essências: água ar e fogo. A quarta essência que se destacou na idade média era o espírito. Mas, segundo a Ciência atual o universo é mais complexo do que parecia aos filósofos gregos.

Na verdade, sabemos que 92 elementos, cada um com seu átomo diferente, constroem o nosso universo. Ao que tudo indica, nem sempre foi assim.

No início do nosso universo, portanto em um tempo muito pequeno após a grande explosão ou Big Bang, estes 92 elementos, que hoje tem os seus átomos compostos de núcleos e eletrosfera. No núcleo estão alojados os prótons e nêutrons e na eletrosfera os elétrons estão orbitando em sua volta.

Para sabermos do que é feito o Universo a física retorna ao seu nascimento, e neste tempo os elementos não estavam assim como hoje organizados. O universo era um emaranhado de partículas livres e colidindo entre si provocando uma constante transformação de energia em matéria. Tudo isso acontecendo nas condições de altíssima temperatura e densidade.

É esta condição que os aparelhos dos laboratórios simulam quando aceleram partículas e as lançam contra alvos criando altíssimas energias. Por alguns microssegundos, quando ocorre a transformação da energia em matéria, é recriado no laboratório o instante do inicio do universo.

Lançando elétrons, nêutrons, prótons ou outras partículas contra alvos os cientistas podem chegar a resposta das indagações dos filósofos gregos sobre de que é feito o nosso Universo.  Na complexidade desta resposta foram descobertos dois tipos de partículas chamados de bárions e léptons.

Os bárions são muitos e entre eles estão incluídos o próton e o Nêutron. Estes, por sua vez, são feitos de seis partículas chamadas quarks, que combinadas entre si fazem diversas configurações. Os léptons aparecem juntos com os quarks e formam três grupos ou famílias diferentes, cada um composto por dois quarks e dois léptons.

Desse modo, as experiências com aceleradores cada vez mais potentes e o esforço dos pesquisadores nos levam a crer que está próximo o dia em que enfim será respondida a pergunta que tanto afligiu os filósofos gregos.